CEC Tinguá aposta no ecoturismo

O Centro de Ecologia e Cidadania de Tinguá (CEC Tinguá), pertencente ao Campo e localizado no município de Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, vai colocar em prática, a partir de janeiro do ano que vem, o projeto de ecoturismo. A infra-estrutura formada por um alojamento com oito suítes (foto ao lado), a casa-sede, com 4 quartos e uma piscina, além da compra de quatro cavalos até o final deste mês, vai permitir receber até 24 pessoas no local. Já existem ecoturistas estrangeiros interessados em conhecer melhor a região, instalada na Reserva Biológica do Tinguá (Rebio).

Na última sexta-feira (05/12), o coordenador geral do Campo, Cristiano Camerman; o coordenador do Núcleo de Educação Ambiental, Ronaldo Soares; e ainda os assessores Cristina Venâncio e Marco Antônio Coelho estiveram com o casal Lylian e Adalberto Trombetta, que ficarão responsáveis pelo ecoturismo do CEC. Houve uma visitação nas instalações do Centro e depois uma reunião para tratar dos detalhes do projeto.

Nesta segunda-feira (08/12), os dois gerentes vão percorrer as propriedades locais para acertar pontos de visitação dos ecoturistas, principalmente nas cachoeiras existentes. Também haverá um contato com o IBAMA a fim de obter a licença para que os hóspedes do CEC possam visitar a Reserva.

As atividades oferecidas pelo ecoturismo vão desde caminhadas em trilhas, observações de plantas e animais silvestres, alimentação natural, cavalgadas ecológicas, banhos em piscinas e lagos naturais, as práticas de avicultura, piscicultura, horticultura, viveiro de mudas e eqüinocultura.

O ecoturismo vai gerar recursos para as ações do CEC na área de educação ambiental e permitir a continuidade dos projetos que vêm sendo implementados com os estudantes da rede municipal de ensino, através das jornadas ecológicas, da meliponicultura (criação de abelhas sem ferrão), da cunicultura (criação de coelhos), da minhocultura, entre outros cursos e programas.




Voltar ao topo